SPED FISCAL – Bloco K Aspectos preparatórios: Como adequar sua empresa as novas regras com vista a atender as exigências do Bloco K

A escrituração do Livro de Registro de Controle da Produção e do Estoque, conforme o Ajuste Sinief 01/16, § 7º passa a ser obrigatória na EFD a partir de (Ato Cotepe/ICMS 81/2017 e Guia Prático EFD-ICMS/IPI):

I – 1º/01/17 para os estabelecimentos industriais dos CNAE´s 10 a 32 e com faturamento anual superior a R$ 300.000.000,00;

II- 01/01/18 para as indústrias das Divisões 10 a 32 com faturamento anual igual ou superior a R$ 78 milhões; e

III- 1º/01/19 para as demais empresas e comerciantes atacadistas (completa: conforme os CNAE´s, Divisões e o Faturamento). 

Objetivo: O curso visa apresentar e discutir as principais alterações fiscais desde a publicação do SINIEF 18/2013 (que incluiu o Bloco K no SPED Fiscal) e que ditou novas regras aos processos empresariais no que diz respeito aos controles de materiais, produção, estoque e logística.

Assim, o curso visa explicar e discutir os conceitos que são utilizados dentro da sistemática do Bloco K e na realidade legal. 

O participante será capaz de compreender o motivo da implantação do SPED, o impacto dos mesmos em suas atividades e as interfaces necessárias com as diversas áreas da empresa (contabilidade, fiscal, planejamento, produção, estoque, TI, etc.).

O curso, além de auxiliar no cumprimento da obrigação fiscal, visa auxiliar o Empresário a aproveitar as regras do BLOCO K para melhorar as formas de controles da empresa. Em especial auxiliando-o a identificar e:

  • Desenvolver um “Plano de Ação” baseado em “Compliance Fiscal”;
  • Garantir que todas as regras fiscais estão sendo compridas já na atualidade;
  • Melhorar os processos de compra de material;
  • Certificar-se que as Fichas Técnicas de seus produtos refletem a realidade;
  • Reduzir as perdas em processos;
  • Efetivar controles com produção de terceiros e/ou em terceiros;
  • Acabar com controles paralelos ao seu ERP;
  • Concentrar-se na melhoria do processo produtivo;
  • Baixar o nível de itens parados em estoque;
  • Maximizar os controles de produtividade;
  • Definir regras tributárias para controle das “perdas normais” e “perdas anormais” no processo. 

A quem se destina  

Gestores, analistas e assistentes das diversas áreas da empresa (contábil, fiscal, planejamento, produção, estoque, PCP, TI) e demais profissionais envolvidos no processo de controle e produção das empresas em geral.

  • METODOLOGIA: Exposição com recursos audiovisuais e argumentações acerca dos pontos relevantes e polêmicos da legislação, sempre com vistas ao debate e esclarecimento.

Programa : 

  1. Introdução

1.1 Histórico do projeto

1.2 Cronograma de obrigatoriedade de apresentação

1.3 Legislação aplicável – Ajuste SINIEF 02/09, alterações pelo Ato COTEPE, Guia Prático da EFD, e demais atualizações

1.4 Abrangência dos termos: “Industriais”, “Equiparados a Industriais” e “Atacadistas” 

1.5 A questão dos “Varejistas” enquadrados como “Equiparado a Industrial”

1.6 Qual a diferença entre “varejista” e “atacadista”  

  1. Estruturas do SPED Fiscal – Livro Registro de Controle da Produção e do Estoque – Bloco K
    2.1 Periodicidade de informações

2.2 Alcance dos termos usados na Legislação

2.3 Cruzamento das informações com os outros Blocos do SPED
2.4 Estrutura do Bloco

  1. Registros Correlacionados (Bloco 0):
    3.1 Registro 0000 – Abertura do arquivo digital e identificação da entidade

3.2 Registro 0150 – Tabela de cadastro do participante

3.3 Registro 0190 – Identificação das unidades de medidas

3.4 Registro 0200 – Tabela de identificação do item (produtos e serviços)

3.5 Registro 0210 – Consumo específico padronizado

3.6 Registro 0220 – Fatores de conversão de unidades 

  1. O que deve constar em cada Registro do Bloco K:

4.1 Registro K001 – Abertura do Bloco K

4.2 Registro K100 – Período de apuração do ICMS/IPI

4.3 Registro K200 – Estoque escriturado

4.4 Registro K210 – Desmontagem de mercadorias – Item de origem

4.5 Registro K215 – Desmontagem de mercadorias – Itens de destino

4.6 Registro K220 – Outras movimentações internas entre mercadorias

4.7 Registro K230 – Itens produzidos

4.8 Registro K235 – Insumos consumidos

4.9 Registro K250 – Industrialização efetuada por terceiros – Itens produzidos

4.10 Registro K255 – Industrialização em terceiros – Insumos consumidos

4.11 Registro K260 – Reprocessamento/reparo de produto/insumo

4.12 Registro K265 – Reprocessamento/reparo – Mercadorias consumidas e/ou retornadas

4.13 Registro K270 – Correção de apontamento dos Registros K210, K220, K230, K250, K260, K291, K292, K301 E K302

4.14 Registro K275 – Correção de apontamento e retorno de insumos dos Registros K215, K220, K235, K255 e K265

4.15 Registro K280 – Correção de apontamento – Estoque escriturado

4.16 Registros K290, K291, K292, K300, K301 E K302

4.17 Registro K990 – Encerramento do Bloco K 

  1. Algumas questões que serão discutidas no curso:
    5.1 O que é Ordem de Produção (OP)

5.2 O que é Ficha Técnica do Produto (FTP)

5.3 Como tratar as OP, Fichas Técnicas ou Listas de Materiais dos Produtos

5.4 O que são “movimentações internas” para o Registro K220

5.5 Como fica a questão do “sigilo industrial” em face da lista técnica de insumos

5.6 Quem deve informar os insumos na industrialização por encomenda

5.7 Qual o tratamento de uma OP quando parte do processo é realizado internamente e parte em 3º

5.8 Nas industrializações por 3º deve-se informar a lista técnica do 3º no registro 0210?

5.9 Como tratar sucatas e produtos não conformes a serem retrabalhados ou vendidos.
5.10 Para a Legislação, o que são “perdas naturais” no processo industrial

5.11 As perdas de insumos e mercadorias por obsolescência, extravio, roubo, furto, sinistro deverão ser registradas no registro K220?

5.12 Existindo várias listas técnicas para a fabricação de um mesmo produto como informar no registro 0210?

5.13 Existe cruzamento das informações do Bloco K com o Bloco H?

Obs.: É indispensável o uso de calculadora simples – cada participante deverá trazer a sua.

Palestrante

Dirceu Antônio Passos-Advogado e Contabilista

Advogado com pós-graduação em direito tributário pela PUC-Campinas, Contabilista; mais de 30 anos de atuação na área tributária de grandes organizações, incluindo empresas de Logística (Keepers, Martins, Logimasters e Dachser); auditorias e consultorias big four (PriceWaterhouseCoopers, KPMG); indústrias e comércios (Novartis, Compaq e Cotia Trading); responsável pela elaboração e apresentação de diversos cursos na área fiscal-tributária na TIGERLOG, CIESP/FIESP, UNISESCON, CENOFISCO, MORAES-Cursos, SENAC, IBECC, etc

Informações Gerais

Data: 31/10/2018 Duração: 1 dia(s)
Horário: 08h30 às 12h e 13h30 às 18h Carga horária: 8 horas
Local: Hotel Mercury 07 de setembro Telefone:
Cidade: Curitiba
Endereço: Av.07 de setembro 5368 Batel
Investimento: R$ 999,00

Valor promocional:

30% = R$699,30 01 participante)

40% = R$599,40(02 participantes – valor por inscrição)

45% =R$549,45 (03 ou mais participantes – valor por inscrição)

Pagamento: depósito, boleto bancário e todos cartões em até 12X
Material Incluso: coffee breack, apostila,material de apoio, certificado
Observações: * Agende o pagamento de sua inscrição para data do evento com os descontos oferecidos.

 

-Faça esse curso in company  


Dados da Empresa
Responsável pela Inscrição
Dados do(s) Participante(s)
Forma de Pagamento
Pessoa Física

*Cartão de crédito: Amex, Mastercard e Visa em até 12XChequeBoleto BancárioDepósito Bancário

Pessoa Jurídica

*Cartão de crédito: Amex, Mastercard e Visa em até 12XBoleto BancárioDepósito Bancário

* o parcelamento em cartão de crédito será feito através do Pagseguro, sendo que em mais de uma parcela acarretará juros da financeira conforme opção selecionada na confirmação do pagamento.
Gostaria de receber informações de Cursos?

EmailWhatsApp